Neste Verão, um navio da NOAA realiza uma expedição hidrográfica no Alasca que contribuirá para cartografar as águas do território
Mar de Bering
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Gabinete de Investigação Costeira da National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) dos Estados Unidos anunciou para este Verão o lançamento de expedições hidrográficas no Alasca destinadas a explorar os recursos marinhos do Árctico do país.

Segundo a NOAA, entre Julho e Agosto, uma tripulação a bordo do navio Fairweather está a pesquisar 566 milhas quadradas náuticas próximo de Cape Lisburne e Point Hope, no Alasca, das quais 70% nunca foram exploradas. Os 30% restantes desta área foram objecto de uma investigação no princípio dos anos 60 do século XX. Esta será uma das sete expedições hidrográficas ao Alasca que a NOAA tem previstas para este ano.

A informação recolhida servirá para produzir cartas náuticas no âmbito do esforço desenvolvido pelo Gabinete de Investigação Costeira da NOAA, responsável pela generalidade das cartas geográficas dos Estados Unidos, para cumprir o Plano Nacional de Cartografia e o Plano de Cartografia Náutica do Árctico dos Estados Unidos.

A NOAA lembra a propósito que o Alasca representa um quinto dos Estados Unidos e tem mais de 33 mil milhas (quase 50 mil quilómetros) de costa, que corresponde a 57% das principais águas navegáveis dos Estados Unidos e a todo o território Árctico do país. E que apenas 4,1% do Árctico marinho do país foi cartografado por métodos modernos.

Embora sejam zonas difíceis de pesquisar devido ao gelo que ali persiste durante a maior parte do ano, as águas Árcticas serão progressivamente mais navegáveis e acessíveis ao tráfego marítimo ao longo dos próximos 20 ou 30 anos, com o desaparecimento gradual do gelo de Verão.

O que tornará mais fácil pesquisar o fundo marinho daquela região, cujo conhecimento é importante para a navegação marítima, previsão meteorológica, identificação de minerais, investigação de destroços e mapeamento de habitats marinhos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. IV Grande Conferência JEM

    Janeiro 22 - Janeiro 23
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill