A autora Filipa Melo retrata a vida das comunidades piscatórias portuguesas no "Os últimos marinheiros" com o apoio da Fundação

O livro já está à venda e tem apresentação marcada para dia 9 de Setembro, a bordo do navio Santa Maria Manuela, na Marina do Parque das Nações. Além da autora contará com a presença de David Lopes, director executivo da Fundação, e pela Comandante Cristina Alves, com visita guiada ao navio incluída.

Sinopse
“O que o leitor tem nas mãos é uma tentativa de retrato do universo de alguns portugueses cuja principal fonte de sustento ainda é a navegação no mar. Para a maioria, a ligação à marinha mercante é uma herança familiar, vinda das duas gerações anteriores ou de tempos imemoriais. Na dura solidão dos dóris bacalhoeiros ou no relativo conforto de modelos mais ou menos recentes de navios de pesca ou de carga, o respeito pelo mar perpetua as suas regras.Apesar de toda a maquinaria, a profissão de marinheiro mantém algo de intrépido e aventureiro.”

Portugal possui 2.830 quilómetros de linha de costa e constitui a 3ª maior Zona Económica Exclusiva europeia, 11ª a nível mundial. Mesmo assim, não existe um único boletim meteorológico radiofónico que indique o estado do mar. A bordo de um navio de carga comercial e de um navio de pesca por arrastão, Filipa Melo foi conhecer os nossos últimos marinheiros. Homens e mulheres que todos os dias enfrentam o mar e fazem justiça ao nosso passado mais mítico, contra todos os ventos e marés.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill