Investigadores da Universidade do Estado Carolina do Norte desenvolveram o primeiro veículo não tripulado capaz de voar e navegar em seguida.
Peixe em Lisboa
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Investigadores da Universidade do Estado Carolina do Norte desenvolveram um veículo aéreo e marítimo não tripulado (vulgarmente denominado drone) que, segundo afirmam, é o primeiro que cumula as duas funções, pois voa e mergulha, segundo o Maritime Executive. O projecto do drone, denominado EagleRay XAV, foi desenvolvido com fundos e assistência da Teledyne Scientific, companhia americana especializada em electrónica, e está vocacionado para monotorização e observação da vida animal.

Dado que manter uma vigilância aérea pode ser dispendioso, um dos investigadores do projecto, Warren Weisler, explicou que “o EagleRay consegue conservar energia passando algum tempo na água”, podendo, por exemplo “monitorizar um movimento rápido de um conjunto de golfinhos a partir do ar e depois passar algum tempo a vagar na água”, para depois prosseguir novamente o voo.

Ao contrário de tecnologias do género, este equipamento é “escalável”, refere William Stewart, outro investigador do projecto, explicando que pode executar os trabalhos de uma sonda marítima e depois prosseguir a voar para fazer monitorização noutros sítios. O modelo corrente do EagleRay tem uma envergadura de asas de 150 cm e 140 cm de altura, pesando 12,6 quilos. É alimentado por um motor eléctrico e tem uma hélice de dupla utilização, que lhe permite andar no ar e na água.

Os investigadores continuarão a aperfeiçoar o projecto para desenvolver um controlador personalizado e um modelo mais dinâmico, para usar em simulações ou treinos, com desempenho sob as mais variadas condições.

 

Poderá consultar aqui a notícia do Maritime Executive com o respectivo vídeo do drone.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill