Filme da Escola Básica e Secundária de Santa Maria, nos Açores, conquistou o primeiro prémio, no valor de 5 mil euros
UNCTAD
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O vídeo da Escola Básica e Secundária de Santa Maria, nos Açores, «O Mar que Há em Nós», foi o vencedor do Prémio Mário Ruivo – Gerações Oceânicas, no valor de cinco mil euros, atribuídos à escola. Os autores conquistaram também o direito a uma visita ao navio de investigação Mar Portugal e a uma experiência de mar.

Foram ainda distinguidos com uma Menção Honrosa os vídeos «Tascas da Ribeira: Testemunhos de Mudança», do Agrupamento de Escolas de Santa Maria Maior, em Viana do Castelo, e «Mar Português», do Agrupamento de Escolas da Cidadela, em Cascais. Ambas as escolas recebem 1.500 euros e o direito a uma visita ao navio Mar Portugal.

Mereceram uma menção do júri os filmes «O Dia em que o Mar Desapareceu», do Agrupamento de Escolas Prof. Óscar Lopes, em Matosinhos, e «Frutos do Nosso Mar: Colher e Preservar», do Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação, em Ílhavo.

Recorde-se que O Prémio Mário Ruivo – Gerações Oceânicas foi lançado para distinguir anualmente projectos que promovam, em filme, o conhecimento sobre os oceanos, dirigido destinado aos estudantes do terceiro ciclo do ensino básico e secundário. Estiveram em concurso 43 filmes de escolas de Portugal Continental, Açores e Madeira.

 

Os vídeos vencedores estão disponíveis em www.premiomarioruivo.pt



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Seminário WavEC 2018

    4 Dezembro, 2018 - 5 Janeiro, 2019
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill