44 Anos depois de ter entrado ao serviço da Marinha Portuguesa

Lançada à água a 2 de Maio de 1969, a NRP João Coutinho (F 475) efectuou a sua última navegação no passado dia 14 de Agosto, 44 anos depois de ter entrado ao serviço da Marinha Portuguesa, a 7 de Março de 1970. Desconhece-se para já qual será, no futuro, o seu destino, mas por agora esta corveta ficará atracada na Base Naval do Alfeite.

Sendo o primeiro de um projecto nacional de seis navios (em que a construção dos três primeiros teve lugar nos estaleiros Blohm & Voss na Alemanha e os outros três ocorreu na empresa Nacional Bazan de Construções Navais Militares em Espanha), da autoria do Engenheiro Construtor Naval Rogério Silva Duarte Geral D’Oliveira.

Com uma guarnição constituída por 70 elementos, a NRP João Coutinho conta com mais de 60 mil horas de navegação, tendo participado «nas mais variadas missões, de natureza militar e não militar», entre as quais se destacam: a evacuação de cidadãos nacionais da Guiné Bissau em 1998, a colaboração nas operações no mar na sequência da queda da ponte Hintze Ribeiro em 2001, e ainda «duas grandes operações de combate à poluição marítima, com o acompanhamento do petroleiro Prestige em 2002, e na sequência do afundamento do porta-contentores Nautila em 2003». Recorde-se ainda que «de 1970 a 1975 fez diversas missões em África, nas ex-colónias portuguesas de Angola, Moçambique, Guiné e Cabo Verde».



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill