Estados Unidos pretendem continuar exercício militar
Fujeira

O Irão ameaçou bloquear o estreito de Ormuz, um importante ponto de passagem nas rotas marítimas do petróleo, aos navios dos Estados Unidos e seus aliados, se a marinha norte-americana prosseguir com os exercícios militares no Golfo Pérsico, de acordo com notícia recente do World Maritime News.

A ameaça terá sido revelada por um oficial da Guarda Revolucionária do Irão (GRI), citado por meios de comunicação locais e o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano terá mesmo apresentado um protesto formal junto da Embaixada suíça em Teerão, que representa os interesses norte-americanos, argumentando que os Estados Unidos empregam uma “linguagem inaceitável contra a República Islâmica do Irão e usam uma designação falsa para o Golfo Pérsico num projecto de resolução” refere o jornal.

Os Estados Unidos defendem que os exercícios destinam-se a proteger as rotas comerciais internacionais. E pretendem continuar a realizá-los até onde a lei internacional o permita, embora encarem com preocupação a ameaça iraniana. Participam mais de 30 países de todos os continentes, numa área que cobre o Canal de Suez, o estreito de Bab Al-Mandeb e o estreito de Ormuz.

O aumento de tensão entre os dois países pode contrariar o processo de regresso do Irão aos mercados internacionais da navegação e produtos petrolíferos, entre outros, depois de anos sujeito a sanções e na sequência de um processo negocial de desanuviamento no qual os Estados Unidos exerceram forte influência.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill