As acções desestabilizadoras provocadas pelos separatistas baloches e que geram forte insegurança na província do Balochistão estão a colocar em risco os interesses económicos chineses na região, incluindo no porto de Gwadar
Norled
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Um analista militar chinês sedeado em Pequim terá admitido recentemente ao jornal South China Morning Post que as questões de segurança podem fazer repensar os investimentos chineses na província paquistanesa do Balochistão, designadamente no porto de Gwadar, uma infra-estrutura chave no Corredor Económico China-Paquistão, refere o Maritime Executive.

A par de uma situação económica adversa, o Paquistão enfrenta problemas de segurança no Balochistão resultantes de ataques persistentes de separatistas baloches, defensores de maior autonomia para a província, que têm dificultado o desenvolvimento do porto. Nesse sentido, alguns observadores comentam que o porto de Gwadar se tornou demasiado dispendioso.

A publicação lembra o ataque ao hotel mais luxuoso de Gwadar, este mês, pelo Exército de Libertação Baloche, que provocou a morte de cinco civis, todos paquistaneses, e um militar, precedido de outro, em Abril, realizado pelo mesmo grupo na auto-estrada costeira de Makran e que matou 14 pessoas, incluindo 11 militares, e de outro perpetrado seis meses antes contra a Embaixada chinesa em Carachi, que vitimou dois civis e dois polícias.

O Maritime Executive refere também que os baloches se sentiram excluídos dos empregos e dos benefícios económicos proporcionados pela construção do porto de Gwadar, que foi entregue, essencialmente, a empresas chinesas. Em consequência, os separatistas baloches pediram à China que deixasse de se envolver no desenvolvimento da região.

Apesar do compromisso do Governo paquistanês de garantir a segurança dos interesses chineses no Balochistão, de que resultou o destacamento de 15 mil militares para defender o Corredor Económico China-Paquistão, o recente ataque ao hotel de Gwadar demonstrou que os separatistas conseguem violar o perímetro defensivo imposto pelas autoridades de Carachi.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill