As dificuldades financeiras do estaleiro da HHIC Phil levaram o Governo filipino a procurar compradores e duas empresas chinesas, uma das quais estatal, poderão estar interessadas. Uma solução que preocupa alguns observadores, que entendem que tal aquisição constituiria um risco para a segurança nacional
Chistopher Sabine
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Duas empresas chinesas, incluindo uma estatal, manifestaram interesse em comprar o estaleiro da Hanjin Heavy Industries and Construction Phillipines (HHIC Phil), nas Filipinas, que enfrenta problemas financeiros e para o qual o Governo de Manila procura compradores desde 2018, refere a Maritime Executive.

A construção do estaleiro começou em 2006, a península de Redondo, na ilha de Luzón, a maior do país, e ao longo da última década estabeleceu recordes de construção naval nas Filipinas. Avaliado em 1.300 milhões de euros e com 23 mil trabalhadores, entregou o seu primeiro navio de 300 mil toneladas de porte bruto (dwt, ou deadweight tonnage), porventura o maior de sempre construído no país, em 2017.

Nos últimos meses, porém, segundo a publicação, o estaleiro conheceu problemas financeiros e em Dezembro foram despedidos 7 mil trabalhadores. Além disso, terá uma dívida de 780 milhões de euros a vários credores sul-coreanos e de 340 milhões de euros a cinco Bancos filipinos. De acordo com a publicação, entrou em processo de falência, a maior de sempre naquele país, e solicitou judicialmente um plano de reabilitação, que inclui a procura de novos investidores, com o apoio do Governo.

A notícia do interesse chinês no estaleiro gerou preocupações em alguns meios, como um antigo responsável pela Marinha filipina, Alexander Pama, que no Facebook avisou para os riscos que esse interesse encerra e que ultrapassam largamente a questão comercial, refere a Maritime Executive.

Aquele responsável lembrou que a compra do estaleiro pelas empresas chinesas envolve um problema de segurança nacional porque confere aos compradores acesso ilimitado aos principais meios navais filipinos e, embora se trate de um estaleiro comercial, nada impedirá os novos donos de o transformarem numa base naval.

De acordo com a Maritime Executive, o caso não preocupa o Governo do Presidente Duterte. Um porta-voz do Executivo de Manila considera que por agora existem muitas especulações em redor da questão, aludindo ao que ainda será apenas um interesse potencial de empresas chinesas, o que não deverá colocar problemas.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill