O Governo do Reino Unido anunciou que reservas e recursos recuperáveis restantes no Mar do Norte oscilam entre os 10 e os 20 milhões de barris de petróleo, pelo que o país terá reserva para mais 20 anos de produção.
Joe Balash
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Reino Unido tem suficientes reservas (prováveis e provadas) de petróleo e gás para sustentar a produção por mais 20 anos, segundo um relatório da Oil and Gas Authority (OGA), a entidade que regula e promove o uso do petróleo e gás naquele país. O desenvolvimento deste assunto tem dado frutos, uma vez que em 2017 400 milhões de barris foram adicionados às reservas, tendo-se produzido cerca de 600 milhões de barris, pelo que o rácio de reserva foi de 69%.

Segundo o documento, foi o próprio Governo do Reino Unido que explanou o caso: as reservas e recursos recuperáveis restantes no Mar do Norte oscilam entre os 10 e os 20 milhões de barris de petróleo, o que significa que basta desenvolver os recursos necessários para as explorar.

O contingente do Reino Unido a nível de recursos é significativo, com uma estimativa de recursos descobertos mas não desenvolvidos de 7.500 milhões de barris – sendo que muitos destes recursos estão em áreas maduras.

Esta realidade constitui uma oportunidade do país para continuar a desenvolver-se neste campo, o que requererá, todavia, bastante investimento. Note-se que nos últimos anos, tê, sido realizados diversos estudos neste sentido.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill