Produção de combustível com hidrogénio em perspectiva
Porto de Roterdão
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Autoridade do Porto de Roterdão (APR), a Refinaria da BP de Roterdão, a TNO (organização holandesa independente de investigação), a Smartport (agregadora do município de Roterdão, da associação empresarial Deltalinqs, da Universidade Erasmus de Roterdão e da Delft University of Technology), a Uniper (empresa energética alemã) e a Stedin (operadora holandesa de energia) assinaram um acordo de cooperação para estudar a possibilidade de produzir hidrogénio a partir da electricidade, visando a utilização do hidrogénio na produção de combustíveis.

O acordo, subscrito em 18 de Janeiro último, prevê o estudo da viabilidade técnica e económica da construção de uma central a gás na área do porto de Roterdão, bem como as necessárias alterações normativas para o efeito. A investigação deverá estar completa a meio deste ano, altura em que “deverão estar claros os principais desafios desta tecnologia inovadora”, diz a APR, bem como as modificações exigidas pelo processo produtivo da refinaria da BP de Roterdão, onde se iria produzir esse combustível a partir do hidrogénio, o plano de negócio e as devidas autorizações legais necessárias ao desenvolvimento deste projecto.

Segundo a APR, “a utilização do hidrogénio é um passo importante no sentido de uma produção de combustível mais sustentável no porto de Roterdão” e provavelmente será um projecto “único no seu âmbito”. A APR refere mesmo que “as centrais a gás existentes, como a unidade piloto operada pela Stedin, em Rozemburgo, só tem uma fracção da capacidade prevista neste projecto” e está optimista quanto à possibilidade de utilização do hidrogénio em larga escala na produção de combustível.

A APR considera que “a construção de parques eólicos no Mar do Norte significa que nas próximas décadas estará disponível um grande volume de electricidade verde e que será transportado para terra, pela rede Tennet, para Maasvlakte”, entre outros destinos. “Usando a electrólise, esta electricidade pode dividir as moléculas de água em oxigénio e hidrogénio”, refere a APR, acrescentando que o hidrogénio pode depois ser usado de várias formas, como combustível de transporte, ou adicionado à rede eléctrica. Com a vantagem de mais fácil de armazenar do que a electricidade.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill