O drama da falta de investimento no Mar é, não apenas mas acima de tudo, a falta de uma verdadeira sociedade civil com independência que obrigue o poder político a uma diferente visão económica, dos negócios e das possibilidades de desenvolvimento nacional. Quem o afirma é José Poças Esteves, uma das figuras mais conhecidas na elaboração famoso estudo do «Hypercluster do Mar» coordenado por Ernâni Lopes. Há esperança para que o panorama mude?...


3 comentários em “Ou temos empresários com independência ou Portugal está condenado a definhar”

  1. Pedro de Sousa diz:

    Parabéns ao Jornal da Economia do Mar, sempre na Vangarda portuguesa.
    Porém, recorrendo à História, não posso acompanhar o que se diz na apresentação desta Formidável entrevista, desde já Parabéns ao entrevistado:

    «O drama da falta de investimento no Mar é, não apenas mas acima de tudo, a falta de uma verdadeira sociedade civil com independência(…)». Não posso acompanhar completamente esta afirmação, pois, não houve qualquer país que se desenvolvesse nos últimos 500 anos, a começar com Portugal, sem incentivos fortíssimos de Estado.

  2. Fernando Manuel P. J. Silva diz:

    Infelizmente, Portugal sempre teve e/ou encontrou actores e protagonistas de diversos “Estudos Sectoriais” verdadeiramente substantivos e intelectualmente geniais, que prospectaram cenários de crescimento e desenvolvimento mais ou menos sustentável, para o nosso território.
    Lamentavelmente, estes proeminentes autores de teorias do crescimento sectorial e económico,, esqueceram-se de estudar a variável determinante para o sucesso de qualquer estudo – o EMPRESÁRIO!
    Não há “teorema” demonstrável, sem “axioma”.
    Um País, sem capital humano empresarial, INDEPENDENTE OU NÃO, não pode nem deve auto “enganar-se” com teorias e/ou ensaios de desenvolvimento local ou sectorial.
    Estamos cansados, de todos aqueles que PENSAM, porque na vida só aprenderam a sonhar.
    E, desesperamos, por todos aqueles que FAZEM / SABEM FAZER, mas já não querem acreditar que o futuro ainda pode acontecer-lhes.

    Fomos um País de valorosos e glorificados Almirantes e Marinheiros. Mas, este passado glorioso não nos oferece o futuro de que precisamos.
    Todos nós precisamos de aprender e … trabalhar … trabalhar … trabalhar.

  3. Fernando Fonseca diz:

    Boa intervencao do dr. Pocas Esteves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill