Organizações não-governamentais de conservação marinha portuguesas e espanholas reúnem-se por uma gestão sustentável dos recursos.
Pong PESCA
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Reuniram-se ontem, pela primeira vez em Lisboa, a bordo de um veleiro, 15 organizações não-governamentais (ONG) portuguesas e espanholas para “coordenar o seu trabalho em assuntos chave”, nomeadamente sobre tópicos como a stock da sardinha, as oportunidades de pesca de espécies de profundidade ou a implementação da Política Comum de Pescas (PCP).

Houve especial enfoque na pesca de espécies de profundidade, pois vai ser emitido, em Novembro, o parecer científico para os próximos dois anos, pelo que estas terão maior relevo junto das organizações. Ainda para mais, são espécies particularmente vulneráveis e de lento crescimento que requerem pareceres precaucionários. Como resultado, será solicitada uma reunião ao Comissário Europeu para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella.

Na sequência do que consideram ser a grave situação do stock da sardinha ibérica, ONGs, que já cooperavam sentiram maior necessidade de trabalhar em conjunto pois, defendem, “só será possível ter pescarias sustentáveis e ecossistemas marinhos saudáveis na região se existir uma cooperação próxima e continuada entre as organizações dos dois países”, refere o comunicado oficial.

No entanto, os desafios das águas vão para além das pescas, Desde lixo marinho, planos de prospecção de petróleo e gás natural, a poluição e gestão insustentável dos rios, são inúmeros os assuntos que requerem atenção e cuidado dos “protectores do mar”. Em concreto, nesta reunião foi adoptada uma lista de assuntos que irão acompanhar com comunicações e eventos conjuntos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Seminário WavEC 2018

    4 Dezembro, 2018 - 5 Janeiro, 2019
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill