Piratas Somalis voltaram atacar Sábado passado um navio no Golfo de Aden, no caso, um navio-tanque com bandeira do Panamá, embora sem êxito em virtude da pronta intervenção de uma Fragata da Marinha Chinesa.
DFENCE
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O navio-tanque de bandeira Panamiana foi atacado por um skiff com cinco piratas a bordo, quando navegava a Sul de Balhaf, no Iémen.

Apesar dos disparos e da tentativa de assalto tendo em vista o sequestro do navio, a tripulação do navio conseguiu enviar no entanto um sinal de alarme recebido por uma frota da Marinha Chinesa em trânsito na área que destacou de imediato uma Fragata para ir seu socorro.

Nesse âmbito, a Fragata Hengyang, da 25ª Esquadra, fez descolar também de imediato um helicóptero para o local do incidente, acabando por conseguir colocar os atacantes em fuga.

Segundo as notícias veiculadas pela imprensa internacional, o navio-tanque dispunha de guardas-armados a bordo que intervieram no ataque, dificultando assim também a acções dos piratas e dado tempo à intervenção do helicóptero da Fragata Chinesa.

Do incidente não terão resultado quaisquer feridos nem danos de maior.

Todavia, num outro incidente ocorrido igualmente Sábado passado no Golfo de Aden, em águas internacionais, há a notícia da morte de dois piratas e ferimento de um terceiro, não tendo sido revelados porém nem a identificação do navio atacado nem outros pormenores sobre o desenrolar da situação.

Sabe-se apenas que esses três elementos, como revelado pela Força Anti-Pirataria de Puntland, faziam parte de um grupo de nove piratas que se terão colocado em fuga após o tiroteio.



Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Exposição: Convento das Trinas – Anos 40-Hoje

    Abril 18 @ 10:00 - Maio 5 @ 17:00
  2. Workshop – Profissões de Mar no Feminino

    Abril 27 @ 14:00 - 18:00
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill