Menos de uma semana depois do navio da Marinha Russa, Admiral Vladimirskiy, ter passado ao largo da costa portuguesa, é agora a vez do navio de apoio anfíbio KOROLEV passar em águas sob jurisdição nacional.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Marinha empenhou dois dos seus navios para vigiar e acompanhar a passagem do navio Russo desde ontem às 14h, hora a que o navio entrou na fronteira marítima portuguesa, no Algarve, navegando em direcção ao Norte.

O navio de apoio anfíbio KOROLEV (LST 130), da Classe ROPUCHA, pertence à esquadra do Báltico e esteve empenhado em operações fora de área, na zona do Mediterrâneo Oriental.

O referido navio efectuou vários trânsitos logísticos entre a zona do Mar Negro e o porto de Tartus, na Síria, totalizando até ao momento 168 dias de empenhamento.

Aparentemente, o navio de guerra Russo regressa ao seu porto de origem, Baltiysk, encontrando-se actualmente em mar português a Norte de Lisboa, tendo até ao momento sido acompanhado pela corveta da Marinha João Roby.

O Patrulha Cuanza assegurará o restante acompanhamento do navio até à saída da ZEE portuguesa.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill