Na sequência da assinatura da Emenda de Jeddah, e na tentativa de aumentar a segurança marítima na costa africana, a IMO apoia exercícios de segurança marítima no Djibouti e nas Seichelles
Fujairah-Mumbai Subsea Tunnel Project
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Estão a decorrer, no Djibouti, Moçambique e nas Seichelles (entre 25 de Janeiro a 7 de Fevereiro) dois grandes exercícios de segurança marítima apoiados pela IMO (Organização Marítima Internacional), na sequência dos esforços contínuos da organização para ajudar os países africanos a melhorar a sustentabilidade dos seus sectores marítimos e das suas economias azuis, segundo comunicado oficial.

 

Estes exercícios incluem a participação no Cutlass Express, com especial ênfase na instigação de marinhas e agências civis e de diferentes países para cooperarem, como previsto nas estruturas existentes do Código de Conduta de Djibouti e na Emenda de Jeddah – um acordo regional contra o crime marítimo.

 

A IMO também participa no Seminário de Líderes Seniores, organizado pelo Centro Africano de Estudos Estratégicos, à margem do Cutlass Express, em Maputo, Moçambique, no qual marcam presença líderes das marinhas da região. Pelo que neste contexto, a IMO enfatiza a necessidade de abordagens multidisciplinares e integrais do Governo para o desenvolvimento marítimo coadjuvado com segurança marítima que sustente o desenvolvimento económico e gere maior estabilidade.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill