O que começou com um convite para participar num projecto internacional ganhou força, assumiu importância e é hoje a principal aposta da empresa.
bitcliq

O primeiro contacto com o mundo da pesca (de atum) deu-se através de um desafio: ajudar uma empresa de nacionalidade francesa a fazer uma migração tecnológica. Mas rapidamente a Bitcliq se apercebeu que havia ali uma oportunidade de negócio. Espaço para o desenvolvimento de uma solução mais abrangente. Que havia uma necessidade, não preenchida, pela recolha, análise e transmissão dos dados. Lacuna que não era exclusiva do cliente com o qual estavam a dar os primeiros passos.

A solução entretanto desenvolvida, e com o nome de Smart Fishing Software, já representa uma “fatia significativa” da exportação de software da Bitcliq. Trata-se de uma solução tecnológica que foi desenvolvida com a colaboração com especialistas internacionais de pesca industrial. Passando aos detalhes técnicos, consiste num sistema distribuído, assente em infraestruturas cloud, com software de recolha de dados a bordo das embarcações, sensores inteligentes, comunicações por satélite, armazenamento de grandes volumes de dados e aplicações Web/Mobile de consulta de informação em tempo-real e gestão analítica (Business Intelligence). Basicamente o software acompanha todo o processo da pesca. Desde a preparação do navio (para ir para o mar) até à fase final da venda do pescado.

Pedro Araújo Manuel, CEO e fundador da Bitcliq, explica que inclusive a preparação da equipa que irá para o mar é feita através do Smart Fishing Software, assim como a reposição dos viveres necessários, tendo em conta a análise do histórico de viagens anteriores.

O software dá toda a informação necessária à gestão para que esta possa tomar as decisões. Se a embarcação deverá continuar a pescar ou se o pescado já angariado é suficiente e o barco deverá regressar a terra, por exemplo.

Além disso o software faz o registo de toda a actividade da pesca. O que permite avaliar o desempenho da equipa que está a explorar o barco. Um caso muito concreto. O barco avista um cardume e o capitão decide efectuar o cerco. A solução regista tudo. Desde a temperatura e salinidade da água assim como todo um conjunto de indicadores que são obtidos por sensores e registados de forma automática ou manualmente (dependendo do barco). Informação que depois será utilizada para avaliar a actividade e que permite fazer uma gestão mais sustentável da pesca e a rastreabilidade total do produto.

A “parte boa” do SmartFishing é a de que cobre todas as fases operacionais do processo, desde a viagem (Fishing Trip), passando pela procura (Searching), o cerco (Setting), a captura (Catch), a congelação (Hatch/Brine), o desembarque (Unloading), o transporte (Waybill), o armazenamento em armazéns de frio (Scows & Coldstores) e a entrega final para transformação e/ou exportação e venda em mercado. Melhor ainda. Permite a comunicação com outros softwares de controlo de gestão, recursos humanos, aprovisionamento e compras, logística, manutenção técnica de navios, sistema de qualidade e certificação do pescado

Na prática o acesso a informação rigorosa (e em tempo real ou mais actualizada) permite que o gestor agilize as suas decisões dando-lhe time to market para reagir a situações imprevistas. Por exemplo. Um barco vai para o mar para apanhar atum, mas acaba por pescar uma quantidade considerável de cavala. Tendo acesso a essa informação o gestor pode, desde logo, e antes de o barco chegar em terra, procurar vender essa espécie. Ou, caso não consiga pescar a quantidade estipulada, tentar encontrar alternativas (que podem passar por decidir prolongar a estadia da equipa no mar).

Outra vantagem é a de disponibilizar informação para os observadores das autoridades locais, que acompanham a viagem de pesca e as operações de desembarque.

Os números de mais de um ano de utilização

Em pleno uso desde Novembro de 2014, a plataforma registou já dados de mais de centena e meia de viagens (cada viagem dura cerca de um mês com três dezenas de homens a bordo), com mais de 5 mil actividades diárias registadas, mais de 60 mil toneladas capturadas, 23 mil acções de captura e 40 mil registos de pesagem no desembarque. Mais de 11.500 transacções de dados via satélite e o lançamento de uma dezena de actualizações automáticas de software em alto mar.

Futuro

Actualmente o Smart Fishing Software já representa cerca de 70% da exportação da Bitcliq. Mas a empresa quer mais. E o objectivo é, no espaço de dois a três anos, conquistar cinco novos clientes. Sendo que Espanha e Franca são os mercados alvo preferenciais. A explicação é simples. Porque, segundo Pedro Araújo Manuel, 20% do potencial mundial está concentrado nestes países que são, igualmente, os que mais valorizam este tipo de sistema de informação.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill