Bernardino Soares espera que nova atitude favoreça diálogo sobre Plataforma Logística da Bobadela com o município de Loures
Porto de Lisboa
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Bernardino Soares, Carlos Humberto de Carvalho e Joaquim Judas, presidentes das Câmaras Municipais de Loures, Barreiro e Almada, respectivamente, foram unânimes em admitir uma atitude diferente da Administração do Porto de Lisboa (APL) no seu relacionamento recente com os municípios.

Os autarcas manifestaram as suas posições durante as intervenções que fizeram num painel subordinado ao tema «O porto e as cidades», no âmbito do seminário que ontem decorreu em Lisboa, promovido pela Comunidade Portuária de Lisboa, intitulado «Porto de Lisboa – Desafios e Afirmação».

Na ocasião, Bernardino Soares, no entanto, manifestou o seu desejo de que esta nova atitude sirva para influenciar a Infra-Estruturas de Portugal, que gere a Plataforma Logística da Bobadela, uma área importante na actividade do porto de Lisboa mas que compromete a fruição do rio pela população do concelho de Loures.

De acordo com o autarca, trata-se de uma área que afecta cerca de 70 mil pessoas e que tem sido um obstáculo a essa fruição. Bernardino Soares também receia que essa área venha a ser concessionada a operadores privados sem qualquer diálogo prévio com a autarquia sobre o destino do espaço e o seu impacto na vida da população.



Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Conferência: Direito e Economia do Mar

    Maio 29 - Maio 30
  2. Business2Sea 2017

    Junho 5 - Julho 6
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill