Regresso do Irão aos mercados já agita mercados petrolíferos
Irão
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Japão pretende aumentar a importação de petróleo do Irão, dos actuais 110 mil barris por dia para um valor não divulgado. E pretende estender o seu acordo de aquisição de petróleo com o Irão até 2017.

A notícia foi divulgada pela National Iranian Oil Company (NIOC) e surge na sequência do levantamento das sanções económicas impostas ao Governo iraniano por motivos relacionados com o desenvolvimento da energia nuclear.

A NIOC refere também que ao longo do último mês o Irão recebeu várias delegações japonesas ligadas ao sector petrolífero, interessadas em fazer regressar o comércio petrolífero com as autoridades iranianas aos níveis existentes antes da imposição das sanções.

Noutro plano, o Irão mantém conversações com o Oman, no sentido de exportar gás natural destinado a ser convertido gás natural liquefeito (GNL) e posteriormente colocado nos mercados externos.

O objectivo iraniano é o de exportar para Oman 28 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, dos quais 30 por cento para conversão em GNL, provavelmente nas instalações de Qalhat.

No âmbito destas conversações está o projecto de um gasoduto para transportar o gás natural do Irão para Oman e que fez parte da agenda do ministro do Petróleo, Alireza Kameli, na visita que fez recentemente àquele estado do Golfo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill