Dados económicos apontam para quebra nos movimentos

O movimento de contentores nos portos da chamada Northern Range europeia, uma linha portuária ao longo do litoral meridional do Mar do Norte, deve cair cerca de 5,2 por cento no primeiro semestre deste ano, face a igual período do ano anterior, segundo a consultora Hackett Associates e o Institute of Shipping Economics and Logistics (ISL) de Bremerhaven, na Alemanha.

Paralelamente, o site Lloyd´s Loading List regista que a entrada de carga contentorizada nesta zona deve diminuir nos próximos seis meses face aos seis meses anteriores, uma diminuição de seis meses face ao ano anterior.

De acordo com os dados da Hackett Associates, estima-se que o total de importações da Europa seja de uma quebra de 3,2 por cento em 2015, com um mínimo de derrapagem de 4 por cento antecipado para o Norte da Europa.

Os seis principais portos da Northern Range – Le Havre, Zeebrugge, Antuérpia, Roterdão, Bremen/Bremerhaven e Hamburgo – devem representar, em conjunto, um decréscimo de 4,4 por cento na captação de volumes em 2015, enquanto a saída de volumes deve atingir os 3,1 por cento. O movimento total deve registar uma diminuição de 2,3 por cento. Antuérpia foi o menos atingido pela crise, a ponto de poder manter alguma força em 2016 se não estiver exposto ao colapso do comércio russo que afectou os seus concorrentes do Norte da Europa.

Segundo o relatório “The Global Port Tracker: North Europe Trade Outlook“, da Hacket Associates, “na melhor das hipóteses estamos perante uma recessão suave e na pior o caso poderá ser muito mais grave, à medida que a capacidade de oferta continue a ultrapassar a procura”. Aí se refere também que todos os indicadores do modelo económico dos portos do Norte da Europa apontam para uma falta de crescimento e muitos apontam mesmo para um declínio da actividade económica, o que significará menos comércio.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill