Os novos feeders irão substituir unidades mais antigas que em pucos anos atingirão o fim de vida
Digital Container Shipping Association

A Maersk confirmou que vai fretar  em sistema de charter 13 feeders de 2.200 TEU a construir em dois estaleiros chineses (Jiangnan Yard e Zhoushan Changhong) e um japonês (Imabari Yard), financiados e encomendados por terceiros, referiu o World Maritime News.

Segundo o jornal, cinco navios serão construídos no Jiangnan Yard e entregues no 1º semestre de 2021, outros cinco em Imabari Yard e igualmente entregues na primeira metade de 2021, e os três restantes em Zhoushan Changhong e entregues no último trimestre de 2020 e início de 2021.

Depois de entregues, os navios irão operar na rede asiática e substituir unidades mais antigas fretadas pela Maersk bem como unidades próprias da companhia que atingirão o seu fim de vida nos próximos anos.

Entretanto, a empresa juntou-se a membros da Coligação Holandesa para o Crescimento Sustentável (DSGC, no acrónimo em inglês) no maior projecto piloto mundial de biocombustível marítimo, noticiou também o World Maritime News.

De acordo com o jornal, a Maersk será o parceiro operacional da iniciativa, fornecendo um navio Triple-E, o maior alguma vez usado para testar este tipo de combustível. O navio navegará 25 mil milhas náuticas no trajecto de ida e volta entre Roterdão, na Holanda, e Xangai, na China, entre Março e Junho deste ano, com recurso a um biocombustível marítimo de segunda geração à base de resíduos de óleo vegetal (também conhecido por óleo de cozinha ou culinária), reduzindo  emissões  em cerca de 1500 toneladas de CO2 e em cerca 20 toneladas de enxofre.

Os membros da DSGC participantes no projecto são a FrieslandCampina, a Heineken, a Philips, a DSM, a Shell e a Unilever, os membros promotores e patrocinares do mesmo. A Shell é igualmente o fornecedor de combustível.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill