Os receios criados pelo Brexit no transporte marítimo entre o Reino Unido e o continente europeu estão a beneficiar os portos irlandeses, que se constituem como alternativa para as exportações irlandesas
PSA International

O Brexit, ou um Brexit sem acordo, constitui uma oportunidade para os portos e a indústria de transporte marítimo da Irlanda, que têm vindo a preparar-se para esse cenário. Segundo o Irish Mirror, está a aumentar o volume de mercadoria habitualmente transportada directamente para a União Europeia (UE) a partir de portos irlandeses, designadamente Dublin e Rosslare, e que começam a ser uma alternativa à rota pelo Reino Unido, a chamada landsbridge.

O jornal recorda que a landsbridge, que designa o trânsito de carga da Irlanda pelo território do Reino Unido antes de chegar a outros portos europeus continentais, representa anualmente 150 mil camiões e 3 milhões de toneladas de mercadorias exportadas para a Europa continental. Mas actualmente, o volume da mercadoria directamente enviada da Irlanda para o resto da Europa é 2,5 vezes superior ao que segue via landsbridge.

O mesmo jornal refere que o porto de Dublin regista mesmo um crescimento fenomenal, mesmo que nem só devido ao Brexit. Em todo o caso, nos últimos seis anos, cresceu 36% e é previsível que a procura de serviços directos entre o porto de Dublin e a Europa continental aumente na sequência do Brexit.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill