Moody's

A Moody’s alterou a sua avaliação sobre o sector do transporte marítimo para negativa, face à perspectiva de que a oferta de navios cresça mais de 2% do que a procura em 2016, especialmente nos segmentos de granéis sólidos e contentores, refere o jornal World Maritime News. Já no segmento de navios-tanque, a oferta mantém-se estável, face à baixa do preço do crude, que induz procura de navios.

“Apesar do segmento de navios-tanque manter um bom desempenho, esperamos que a diferença entre oferta e procura no sector ultrapasse os 2% em 2016 e possivelmente em 2017, fruto de uma coincidência de encomendas de grandes navios com uma procura dependente dos granéis sólidos e dos contentores”, refere Marie Fischer-Sabatie, vice-presidente da Moody’s e autora do relatório “Outlook Update: Shipping – Global: Weakness in Dry Bulk, Container Segments Drives Outlook Change to Negative.”

O relatório acentua a desaceleração da economia chinesa e o seu impacto na procura de commodities, como o carvão e o minério de ferro, bem como o consequente efeito no transporte marítimo de granéis sólidos.

A Moody’s também prevê um declínio de um dígito em 2016 no EBITDA das companhias de transporte marítimo cotadas, contra um crescimento suave nas suas previsões do final do ano anterior, refere o jornal. De acordo com a análise, enquanto os preços do petróleo, que representam um custo importante no transporte de contentores, desceram ao longo dos últimos 6 meses, os benefícios decorrentes dessa baixa continuada desvaneceram-se em 2016 porque foram consumidos por baixas tarifas de fretes cobradas aos clientes.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill