Iniciativa levou à apreensão de 21 redes, sem identificação e com dimensões ilegais
majoeiras

No dia 23 de Março o Comando-local da Polícia Marítima (PM) de Aveiro levou a cabo acções de fiscalização de caçadas de redes de tresmalho fundeadas sem o auxílio de embarcação, vulgarmente designadas como majoeiras, utilizadas a partir de terra.

A iniciativa, que decorreu faixa litoral numa área de extensão de 34 quilómetros de praia, entre a praia de São Jacinto – concelho de Aveiro e a Maceda – concelho de Ovar, implicou a fiscalização de 37 redes. Dessas 21 foram recolhidas e apreendidas por estarem sem identificação e com dimensões ilegais.

Segundo a Autoridade Marítima Nacional as redes foram transportadas para o Comando-local da PM onde se procedeu à elaboração dos respectivos expedientes e procedimentos contra-ordenacionais.

As autoridades advertem que a A utilização destas redes apenas é permitida entre 1 de Outubro e 30 de Abril de cada ano, com excepção dos sábados, domingos e feriados, onde os pescadores apenas podem operar na área de jurisdição da capitania onde residem e das capitanias limítrofes, mas sempre nas zonas para o efeito, demarcadas pela Autoridade Marítima Local.

 

 

 

 

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill