Associações chamam a atenção para risco de desemprego

A Associação Marítima Portuária (AOP) e a Associação de Operadores do porto de Lisboa (AOPL)  reagiram ontem à convocatória da greve pelo Sindicato dos Estivadores, Trabalhadores do Tráfego e Conferentes Marítimos do Centro e do Sul de Portugal num tom de grande dramatismo.

Acusando o sindicato de atitude irracional, desleal e antiética e a greve de ilegítima e abusiva, as associações consideram que a paralisação laboral anunciada será «mais um rude golpe na recuperação da actividade portuária em Lisboa, danificando seriamente a credibilidade operacional das empresas que aí operam, quebrando compromissos e expectativas e afastando mais uma vez o tráfego marítimo».

De acordo com os subscritores, a decisão dos sindicatos é susceptível de arrastar para a insolvência a AETPL/Empresa de Trabalho do Porto de Lisboa e para o desemprego dezenas de trabalhadores. Face ao que consideram «a gravidade da situação criada pela direcção do Sindicato dos Estivadores», a AOP e a AOPL reclamam uma «intervenção legal que reponha a plena aplicabilidade da Lei do Trabalho Portuário no porto de Lisboa».



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill