Quinta de pregados em Mira irá continuar em operação mas Pescanova ainda tenciona vendê-la

A fábrica de pregados da Pescanova em Mira irá continuar a operar depois de ter obtido um acordo temporário com os bancos portugueses, revelou o jornal La Opinion A Coruna.

A quinta de pregados em Mira continua à procura de compradores, estando até lá a operar com normalidade. Já existem potenciais compradores, nomeadamente grandes empresas aquícolas do Canadá e do Japão, avançou o jornal Undercurrent.

A fábrica da Acuinova Portugal tem uma dívida de 99,8 milhões de euros com quatro bancos portugueses: Caixa Geral de Depósitos, BPI, Banco Espírito Santo e BCP. A fábrica de Mira emprega cerca de 170 trabalhadores.

Graças ao acordo, a Pescanova continuará a produzir pregado na fábrica portuguesa com relativa normalidade para não comprometer a produção da filial Insuiña, que se especializa na criação e engorda de pregado, enquanto não foram formalizados os contactos com os investidores interessados ​​em comprá-lo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill