O programa da Volvo Ocean Race Science foi apresentado na conferência MICRO2018 e os dados revelados já estão disponíveis na base de dados da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos.
Volvo Ocean Race
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O programa da Volvo Ocean Race Science, recentemente apresentado na conferência MICRO2018 por Sören Gutekunst, do Instituto GEOMAR de Ocean Research Kiel, da Alemanha, financiado pelo Cluster of Excellence Future Ocean, onde se debateram questões de sustentabilidade no oceano, já tem as colheitas analisadas por membros do programa da Volvo Ocean Race Science, em Kiel, e já conta com dados descarregados na base de dados Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos Estados Unidos, para que qualquer cientista os possa consultar, segundo comunicado oficial.

E nos significativos resultados que alcançou no decurso da regata, com recolha de dados do oceano a bordo do Team AkzoNobel e do Turn the Tide on Plastic,, das 86 amostras recolhidas, denota a presença de elevados níveis de microplásticos em 93% deles. Verificou-se que a concentração de microplásticos tende a ser elevada dentro das principais correntes oceânicas, trazendo poluição plástica de uma área maior.

Os resultados do programa contribuirão não só para uma maior compreensão da presença de microplásticos no ambiente marinho, como ajudarão a fornecer um modelo para a recolha futura de dados.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. IV Grande Conferência JEM

    Janeiro 22 - Janeiro 23
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill