Devido aos navios, Itália excede a quota de poluição admitida. Principalmente no porto de Nápoles, que detinha “acima das 98.000 partículas por centímetro cubico” em hora de ponta.
Porto de Nápoles
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Foi através das partículas ultrafinas que investigadores calcularam a quantidade de poluição atmosférica criada pelos navios no porto de Nápoles, concluindo que a poluição aumentou 220 vezes em vários portos de Itália, comparativamente com os portos onde o ar está limpo. Este estudo foi realizado por duas organizações, a Cittadini per L’Aria e a Nature and Biodiversity Union, que recolheram amostras de ar perto do terminal de Nápoles em 26 e 27 de Abril deste ano.

Ar limpo definir-se-ia por ter, no máximo, 1.000 partículas por centímetro cubico. Os níveis nos locais acima mencionados estão “acima das 98.000 partículas por centímetro cubico, quando o Mein Schiff Herz (navio de cruzeiros) chegou ao porto as 19 horas, mesmo a 800 metros do Porto de Nápoles” referiu o especialista nestas matérias, Azel Friedrich. Sendo que “a poluição média era de 25.000 partículas por centímetro cubico (ccm) nas rotas mais calmas”.

Anna Gerometta, presidente da Cittadini per l’Aria refere ser irresponsável por parte dos donos de navios poluir o ar de Nápoles enquanto visitavam a cidade, referindo que várias empresas e “operadoras de ferry ganham muito dinheiro, no entanto, recusam-se a gastar dinheiro com a tecnologia adequada de gases de escape e, portanto, aceitam colocar ameaças à saúde dos cidadãos. Nós temos um problema maciço de poluição do ar aqui, pelo que é necessária acção política para proteger a nossa saúde, o meio ambiente e os edifícios. O Governo italiano deve apoiar imediatamente a designação no Mar Mediterrâneo de uma Área de Controlo de Emissões de Enxofre e Nitrogénio (SECA e NECA), como Espanha e França já estão a fazer. Estudos recentes mostram melhorias significativas para a qualidade do ar na região e benefícios socio-económicos de até 2,5 mil milhões de euros para a Itália”.

Com níveis de PM10 (220μg/m³) até cinco vezes acima do limite legal, a poluição foi relatada em Génova, Livorno, Veneza, Civitavecchia, La Spezia, Savona e Ancona. Note-se que Nápoles é a única cidade italiana a ter uma disposição vinculativa que rege as emissões dos navios. No entanto, as medidas não são consideradas suficientes, sendo necessárias novas e mais incisivas medidas para reduzir as emissões dos navios na cidade.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill