A cooperação luso-chinesa no âmbito do projecto Uma Faixa, Um Rota, com o porto de Sines em perspectiva, e em matérias científicas e tecnológicas relacionadas com os oceanos, poderão ser debatidas durante a visita do Presidente da China a Portugal que hoje começa
Xi Jinping
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A economia do mar está na agenda da visita oficial que o Presidente chinês, Xi Jinping, inicia hoje a Portugal. Segundo a agência noticiosa espanhola EFE, citando declarações do Primeiro-Ministro António Costa durante um encontro com a imprensa estrangeira, Portugal vai aproveitar esta deslocação para assinar um acordo luso-chinês para ligar o porto de Sines à nova Rota da Seda, mais conhecida pelo nome de Uma Faixa, Uma Rota (One Belt, One Road), ou seja, o projecto comercial de ligação da China à Europa e à Ásia Central por terra e mar lançado por Pequim em 2013.

De acordo com o jornal Público, citando fonte diplomática portuguesa, um dos dois documentos que Portugal e a China assinarão nesta visita de Xi Jinping ao nosso país será um memorando de entendimento destinado a firmar uma cooperação entre Portugal e a Rota da Seda, no qual se deve enquadrar o anúncio de António Costa à imprensa estrangeira. Segundo o mesmo jornal, este documento traduz um modelo de relacionamento com o projecto Uma Faixa, Uma Rota semelhante ao seguido por Espanha ou Roma, mas diferente do seguido por 16 Estados membros da União Europeia, que contempla maior envolvimento.

Ainda segundo o mesmo jornal, o memorando de cooperação a assinar em Portugal é o modelo que mais interessará a Lisboa, no quadro da nossa integração europeia, e deverá mencionar “as duas estratégias europeias que enquadram a Iniciativa chinesa: a Estratégia Europeia de Conectividade com a Ásia e a Estratégia Europeia de Conectividade com a China”. No caso de Espanha, refere o jornal, durante a visita de Xi Jinping a Madrid, terá sido assinado um acordo entre os portos de Algeciras (Espanha) e Ningbo (China), porventura o maior do mundo em volume de movimentação de mercadorias.

A agenda da economia do mar poderá não ficar por aqui. Um sinal disso está no artigo de Xi Jinping publicado há dias na imprensa portuguesa, designadamente no Diário de Notícias, no qual o Presidente chinês afirmava que “vamos desenvolver activamente a Parceria Azul, encorajar o reforço da cooperação nas áreas de pesquisas científicas relacionadas com o mar, a exploração e a protecção do mar e logística portuária, entre outras, desenvolvendo a economia azul, fazendo com que os vastos mares beneficiem as nossas futuras gerações”. Um indício de que a cooperação científica e tecnológica entre os dois países na área dos oceanos também poderá ser, pelo menos, aflorada nesta visita.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Seminário WavEC 2018

    4 Dezembro, 2018 - 5 Janeiro, 2019
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill