A surfista portuguesa Teresa Bonvalot terminou a sua prestação no Caparica Surf Fest em 3º lugar.
Caparica Surf Fest
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O norte americano Nat Young (com 16.13 pontos) e a francesa Pauline Ado (com 18.00 pontos) são os vencedores do QS (circuito de qualificação mundial) do Caparica Surf Fest powered by Oakley, evento da World Surf League (WSL), que terminou este Sábado, dia 20 de Abril, com boas condições, na praia do Paraíso na Costa de Caparica, em Almada. E a surfista portuguesa Teresa Bonvalot terminou a sua prestação em 3º lugar, eliminada nas meias-finais.

“É isto que queremos que aconteça! Claro que não podemos ganhar sempre, mas nos últimos anos não tenho tido bons resultados, pelo que estou muito feliz por ganhar aqui. Não estou a pensar na qualificação para o circuito mundial neste momento. Estou apenas a aproveitar o facto de me ter qualificado para o dia final e depois para a final, que acabei por ganhar, depois do meu adversário ter começado melhor o heat. Sei que consigo fazer bom surf e boas pontuações. Portugal sempre foi um lugar especial para mim e sempre gostei de vir aqui!”, referiu o surfista natural de Santa Cruz na Califórnia.

A surfista francesa referiu que “é óptimo ter conseguido boas pontuações em boas ondas. Diverti-me muito. O meu objectivo aqui era mostrar o meu melhor surf, mais do que fazer um resultado”.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill