A decisão decorre da perspectiva de um Brexit sem acordo, à semelhança do que já fizeram outros operadores maritimos
Maersk
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

A Maersk irá abandonar o registo de navios britânico devido à perspectiva cada vez maior de um Brexit sem acordo, referiu Mark Dickinson, Secretário-geral do sindicato Nautilus International, vocacionado para o apoio aos marítimos, citado pelo Safety4Sea. Uma medida semelhante à que foi tomada por outras empresas de transporte marítimo com navios registados no Reino Unido.

A mesma publicação refere igualmente que a Maersk deixará de prestar formação a cadetes britânicos, na sequência de uma quebra da procura por oficiais juniores resultante de um diferente modelo de recrutamento. Segundo a Nautilus International, os cadetes poderão concluir a sua formação e adquirir os seus certificados de competência, mas já se sente a pressão sobre futuros candidatos britânicos a marítimos, à medida que se aproxima um Brexit sem acordo.

Diz o World Maritime News que o Reino Unido tem vindo a sofrer uma redução de marítimos domésticos, que eram 66 mil em 1977 e são 23 mil actualmente. Segundo o sindicato, a redução de marítimos e navios com registo britânico coloca a segurança económica do país em risco, além de afectar os postos de trabalho e a estabilidade da indústria marítima do Reino Unido.

Segundo a Safety4Sea, a tonelagem bruta de navios registados no Reino Unido tem vindo a descer, e um Brexit, sobretudo se não contemplar um acordo entre os britânicos e a União Europeia, agravará a situação. Em Novembro, estavam registados 1.306 navios com mais de 500 toneladas brutas cada. Em 2017, esse número era 1.317 navios, em 2016 era de 1.328, e 2015 era de 1.330 e em 2014 era de 1.327.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill