A bordo do Island Princess percorrer-se-ão 5 continentes e 32 países – 50 destinos em 111 dias
Crescendo Azul
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

África, Ásia, Austrália, Europa, América do Norte e América do Sul – quase todos os continentes, 32 países, 50 destinos – fazem parte de uma viagem de 111 dias a bordo do Island Princess que fará com que a Princess Cruises realize um dos maiores itinerários de sempre, segundo vários meios de comunicação internacionais.

Uma proposta que, segundo a empresa, quando abriu a bilheteira a 27 de Março, em 24 horas, foi alvo da venda mais rápida de bilhetes de cruzeiros. O navio de cruzeiros, de 294 metros de comprimento, que sairá no dia 3 de Janeiro de 2021 de Fort Lauderdale, Flórida, fará cerca de 34 mil milhas náuticas de viagem, incluindo duas travessias no equador. O itinerário inclui paragens nos 25 Patrimónios Mundiais da UNESCO, dos quais a Grande Barreira de Coral da Austrália, a Cidade arqueológica de Petra, a antiga cidade grega de Éfeso, na Turquia, ou a cidade histórica de Casablanca, em Marrocos.

Note-se que a Princess Cruises opera uma frota de 17 cruzeiros, transportando cerca de 2 milhões de convidados por 380 destinos, anualmente. Três novos navios classe Royal já foram encomendados. Um dos navios em construção, o Sky Princess, tem entrega prevista para Outubro de 2019, e outro, o Enchanted Princess, para Junho de 2020.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill