Com o objectivo de sublinhar os elementos chave da Estratégia Inicial da IMO para reduzir as emissões de GEE (Gases de Efeito de Estufa) dos navios, a IMO está no COP 24, de 3 a 14 de Dezembro.
ECSA
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A COP 24 – nome informal de 24ª Conferência da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, (UNFCCC), está a suceder em Katowice, na Polónia (segunda cidade mais poluída da União Europeia), de 3 a 14 de Dezembro, com a participação da Organização Marítima Internacional (IMO).

 

A IMO está presente para sublinhar os elementos chave da Estratégia Inicial da organização para reduzir as emissões de Gases de Efeito de Estufa (GEE) dos navios, de forma a reduzi-las anualmente e até 2050 em 50%, enquanto persegue esforços para os mitigar por completo.

 

As discussões basearam-se nas alternativas aos combustíveis fósseis, investindo em combustíveis de baixo teor de carbono ou nenhum, através de inovação tecnológica, crucial para esta evolução.

 

Principalmente através da continuação dos esforços do Grupo de Trabalho de Redução de Emissões de GEE de navios, que já tem desenvolvido um Programa de acções para acompanhamento da Estratégia Inicial da IMO, nomeadamente a percentagem dessas emissões até 2023, já aprovadas pelo MEPC 73.  Na MEPC 73 os Estados Membros foram convidados a submeter propostas concretas sobre as medidas apresentadas a curto prazo e o procedimento para avaliar os impactos das medidas nos Estados para apresentar no MEPC 74, em Maio de 2019. Pelo que o Grupo concordou realizar uma reunião antes do MEPC 74 para considerar propostas.

 

Tudo isto, tendo sempre em conta, como se pode ler no comunicado oficial, que a navegação internacional é importante no mundo, e que a IMO é o órgão internacional apropriado para tratar de questões afectas às emissões de GEE dos navios envolvidos no comércio internacional.

 

Naquela que é a Conferência da UNFCCC, que entrou em vigor em Março de 1994 e cuja adesão é quase universal, tendo como objectivo prever a intervenção da “mão humana” no sistema climático, além da IMO, participam também delegações de membros associados, representantes de programas das Nações Unidas, agências especializadas, observadores de organizações intergovernamentais e observadores de organizações não-governamentais com estatuto consultivo.

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill