A Maersk reduziu a sua frota de contentores em 30 por cento nos últimos meses de 2015, segundo dados da Alphaliner, uma empresa especializada em análise no sector do transporte marítimo. A redução constituirá uma reacção da companhia às condições adversas sentidas pelo sector e é apenas uma das medidas de contenção de custos previstas.

Segundo Jakob Stausholm, responsável pelo gabinete de estratégia e transformação da Maersk Line, em declarações divulgadas na comunicação social, os números da Alphaliner representam uma dramatização da questão. O mesmo responsável, contudo, admite que a empresa está focada nos seus custos.

De acordo com o Copenhagen Post, citado pela International Shipping News (ISN), a Maersk está a levar a cabo outras medidas de contenção de custos, incluindo uma iniciativa para poupar 250 milhões de dólares (230 milhões de euros) anuais a partir de 2018 em vendas, salários e custos administrativos. Para alcançar este objectivo, 4 mil postos de trabalho poderão ser considerados redundantes no final de 2017, refere o Copenhagen Post, citado pelo ISN.

De acordo com Stig Frederiksen, analista na Nordea Markets, citado pelo ISN, outras companhias de navegação ainda não tomaram medidas semelhantes.

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill