Especialista considera que os armadores não podem esperar pela subida do preço do crude para decidir

Os benefícios da adopção do LNG (gás natural liquefeito), um combustível geralmente considerado atractivo do ponto de vista económico, por parte dos armadores, eclipsou-se parcialmente face à queda do preço do crude, «mas é um erro esperar pela evolução desta realidade», considerou Mark Bell, Director-geral da SGMF (Society for Gas as a Marine Fuel) durante um seminário no âmbito da London International Shipping Week, que decorre em Londres até 11 de Setembro.

Mark Bell reconheceu que a tecnologia do LNG é geralmente conhecida no seio da indústria naval, mas que os benefícios da sua utilização ainda não foram totalmente compreendidos. Considerou também que para os armadores o que está em causa com este combustível é o benefício do preço, mas poucos saberão o que fazer quando e se o preço do crude voltar a subir. «O que vai suceder quando o preço do crude voltara subir?», questionou Mark Bell, insinuando que esperar que isso aconteça para tomar decisões será um erro. E acrescentou que os armadores têm que tomar uma decisão sobre o que fazer no dia seguinte.

No mesmo encontro, Mats Fabergerg, parceiro da Affinity Shipping, afirmou que «haverá muitas companhias que se quererão envolver no LNG, desde já» e que «temos que encontrar os navios que possam operar com LNG».



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill