Em 2019, apesar de ventos adversos induzidos pelas incertezas do Brexit ou da relação comercial entre os Estados Unidos e a China, que induzirão prudência nos investimentos, os terminais portuários de contentores continuarão a ser um negócio atractivo para os investidores, concluiu a Drewry
Sindicato dos Estivadores e da Actividade Logística
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O movimento de contentores nos terminais portuários em todo o mundo deve atingir 800 milhões de TEU em 2019, gerando um EBITDA (Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization, ou Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) de 21,8 mil milhões de euros, segundo dados da consultora Drewry citados pelo World Maritme News.

Esta previsão leva a consultora a considerar que os terminais portuários continuarão a ser um negócio lucrativo, apesar de influências adversas, como o Brexit ou a incerteza sobre uma guerra comercial entre a China e os Estados Unidos, que poderão contribuir para uma diminuição da taxa de crescimento da procura de terminais portuários, de 4,7%, em 2018, para 4% em 2019. Mesmo assim, o crescimento representará um aumento de 30 milhões de TEU no mercado dos terminais portuários.

Podemos esperar uma continuada prudência por parte dos investidores e operadores em termos de investimentos em novas capacidades porque os retornos não são o que costumavam ser; e até os operadores chineses podem ser afectados se a economia da China abrandar acentuadamente”, refere a Drewry.

Os projectos de sustentabilidade portuária poderão ser os mais afectados por esta prudência no investimento, embora possa ser esperado um aumento superior a 25 milhões de TEU em 2019, correspondente a investimentos de 6,6 mil milhões de euros.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill