Só após a conclusão dos estudos do LNEC é que se conhecerá o valor total do investimento necessário para a realização das obras de alargamento e melhoramento do porto de cruzeiros
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Porto de Cruzeiros de Portimão aguarda, neste momento, a conclusão dos estudos adjudicados ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) para aferir a exequibilidade de se dragar o canal de navegação até à cota -10 metros (ZH), o alargamento do canal em mais 100 metros e o possível encurtamento da barra nascente em 70 metros.

Concluídos estes estudos, que encerrarão de igual modo esta fase preliminar, será também requisito obrigatório proceder a uma Avaliação de Impacto Ambiental (AIA), cuja realização será feita num período temporal mais alargado. Daí que estas obras no Porto de Cruzeiros de Portimão nunca possam começar antes do ano de 2016.

No Programa PETI+ está previsto, para os investimentos mais avultados, que
os Portos de Faro e Portimão recebam 10M€ através do RTE-T (Global) mais capital próprios, sendo também de referir que existem sempre alternativas complementares de financiamento. A verdade, porém, é que o valor dos investimentos só poderá estar fechado após a conclusão dos estudos. Até porque não se sabe se haverá externalidades negativas que possam obrigar a tomar medidas de mitigação de riscos.

Quanto aos investimentos que têm vindo a ser efectuados no Porto de Portimão desde a integração na Administração dos Portos de Sines e do Algarve, têm contemplado sobretudo a área das telecomunicações e dos Sistemas de Informação, além da nova rampa para passageiros com mobilidade reduzida que chegam de tender, caso os navios, sobretudo Navios de Cruzeiro, fiquem fundeados ao largo da Praia da Rocha.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill

Últimas Notícias

Receber Sumário Diário