No princípio de Maio ,o Ministério do Mar recrutou 12 novos técnicos, entre operadores e técnicos superiores, para o Vessel Traffic System da DGRM
VTS
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Desde o princípio de Maio que estão em funções 12 novos técnicos (8 operadores e 4 4 técnicos superiores) de suporte e operação do Vessel Traffic System (VTS) Costeiro na Direcção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM), que é responsável pela operação e manutenção do Sistema de Controlo de Tráfego Marítimo do Continente.

O VTS é um sistema que “permite a monitorização de todo o tráfego marítimo, de forma a prevenir e evitar atempadamente problemas e reduzir a possibilidade de acidentes entre navios e poluição no mar”, esclarece o Ministério do Mar. Funciona 24 por dia, todos os dias da semana, contribuindo para o cumprimento das funções de Estado costeiro, e articula-se com os VTS portuários.

Este sistema “emprega tecnologia radar, radiotelefonia VHF e o sistema de identificação automática (AIS, Automatic Information System) para acompanhar os movimentos dos navios e garantir a segurança de navegação em áreas limitadas ou com restrições à navegação, designadamente organizando o tráfego nos esquemas de separação de tráfego, reduzindo-se assim o risco de acidente e mitigando os eventuais danos dele resultantes, nomeadamente para o meio ambiente”, nota o Ministério do Mar.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill