Decorreu ontem na ENIDH, o seminário do Jornal da Economia do Mar e da Associação de Indústrias Navais sobre a Economia Circular no Mundo Marítimo
Economia circular
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Jornal da Economia do Mar e a Associação de Industrias Navais (AIN) promoveram ontem, na Escola Superior Náutica Infante D. Henrique (ENIDH), um seminário dedicado à «Economia Circular no Mundo Marítimo», com a presença de vários representantes da economia do mar em Portugal e moderada por Jorge Antunes, da Tecnoveritas.

Além de uma intervenção do Administrador Delegado da LISNAVE, Peter Luijckx, que abordou o papel da economia circular numa empresa de reparação naval, onde este tema tem particular importância, houve lugar a uma intervenção de Jaime Braga, em representação do presidente da CIP – Confederação Empresarial de Portugal, António Saraiva, na qual destacou algumas notas sobre o uso prudente dos recursos e o seu efeito no ambiente.

Estiveram igualmente presentes outros oradores, reunidos num painel composto por Gonçalo Santos, da EISAP – European International Shipowners Association of Portugal, Pedro Maia, da Hempel, Tomás Costa Lima, da LusoYacht, Andreia Ventura, administradora da Arsenal do Alfeite S.A., Bruno Costa, da Atlantic Eagle Shipbuilding, Hugo Bastos, da Douro Azul, e Miguel Trovão, do Grupo ETE.

Em debate esteve o modo como a economia circular é assumida pelas indústrias marítimas, em particular os estaleiros e o transporte marítimo, onde a reutilização e a reciclagem desempenham um papel importante. O abate dos navios, o destino das tintas que os cobrem e as novas soluções tecnológicas vocacionadas para a sustentabilidade na indústria marítima estiveram entre os tópicos discutidos.

Mais desenvolvimentos sobre a conferência em newsletter da próxima semana

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill