O Baltic Dry Index terminou a semana a registar uma subida de mais 36 pontos, consolidando assim o bom desempenho das últimas sessões, estando agora nos 1 332 pontos no total e com todos os índices a manterem a mesma em tendência de franca recuperação.
Baltic Dry Index
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Para o bom desempenho do Baltic Dry Index, os Capesize voltaram a ser no final da semana um dos elementos-chave com uma recuperação de mais 153 pontos, com o respectivo índice a subir para 2 767 pontos e as taxas de frete, registando igualmente uma valorização de mais 894 dólares, fixarem-se  fixando-se exactamente nos 20 343 dólares.

Quanto os Panamax, voltaram a ganhar também mais 24 pontos, com o respectivo índice subir para os 1 375 pontos no total, assim como as taxas de frete, com uma nova valorização de 197 dólares, a passarem para os 11 037 dólares.

Quanto aos Supramax, mantendo igualmente a mesma já habitual tendência de paulatina recuperação, voltaram a registar uma subida de mais 13 pontos, com o respectivo índice a passar para os 888 pontos no total, bem como as taxas de frete, mercê igualmente de uma nova valorização de 90 dólares, a a passarem para os 9 880 dólares.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Greenfest

    Setembro 28 - Outubro 1
  2. Logística e Cadeias de Abastecimento

    Outubro 11 @ 9:30 - 18:00
  3. 1ª Feira e Congresso Trabalhar num Navio

    Outubro 19 @ 11:00 - 19:30
  4. MOST Iberia 2017

    Outubro 21 - Outubro 24
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill