A conclusão da Wood Mackenzie não é surpresa e relaciona-se com a adaptação do transporte marítimo às novas regras sobre o teor de enxofre autorizado nos combustíveis dos navios a partir de 2020
DNV GL
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A consultora em energia Wood Mackenzie prevê que quando entrar em vigor a obrigação da IMO sobre a percentagem de enxofre admitida nos combustíveis marítimos, em Janeiro de 2020, 85% dos navios estarão condições de a cumprir e que em 2025 ela estará em pleno cumprimento, refere a Safety4Sea.

De acordo com a mesma publicação, a consultora antecipa, sem surpresa, um aumento do uso dos scrubbers (exaustores de gases de navios) até 2020. Do mesmo modo, antecipa que o uso do gás natural liquefeito (GNL) nos navios aumentará 70% entre 2019 e 2020, ano em que substituirão 100 mil barris diários de fuels marítimos, e que a disponibilidade de combustíveis marítimos de muito baixo teor de enxofre será de 1.4 milhões de barris diários e 2020 e de 1.7 milhões em 2024.

A Wood Mackenzie considera também que as margens da refinação irão aumentar em 2020, mas que as grandes vencedoras serão as refinarias para grandes conversões, com unidades que convertam resíduos pesados em produtos mais leves mais valiosos, e as que produzam destilados.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill