Na sequência do derrame, a APDL activou planos de contingência, pediu apoio à Protecção Civil e solicitou análises à água do porto, que não acusaram impacto para o ecossistema ou para a saúde pública
Sindicato dos Estivadores e da Actividade Logística
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Na última Segunda-feira, ocorreu um derrame de ácido fórmico com libertação de vapor num “contentor a bordo do navio HSL Porto, da Maersk”, que se encontrava no porto de Leixões, referiu a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

“Ao verificar-se a libertação de vapor, a APDL accionou de imediato as medidas de contingência, solicitando o apoio da Protecção Civil para acompanhar o descarregamento do contentor do navio”, referiu a APDL, acrescentando que durante toda a operação, “o porto de Leixões continuou a funcionar na normalidade”.

Na sequência do incidente, a APDL, segundo refere em comunicado, “solicitou uma análise da qualidade da água ao CIIMAR – Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto”. Essa análise concluiu que não se verificavam “vestígios de ácido na água, pelo que não existiu qualquer impacto para o ecossistema nem risco para a saúde pública”, afirmou a APDL.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. IV Grande Conferência JEM

    Janeiro 22 - Janeiro 23
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill