azul
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Ainda nos preocupamos com Portugal.

Ainda entendemos ser o Mar decisivo para o futuro e Portugal.

Ainda entendemos ser crucial para que o mar seja, de facto, decisivo no futuro de Portugal, haver consciência real da decisiva importância do mar para o futuro de Portugal.

Ainda entendemos ser determinante para haver consciência da importância decisiva do mar para o futuro de Portugal, haver um Jornal como o Jornal da Economia do Mar que dê não apenas a consciência geopolítica e geoestratégica da importância do mar para o futuro de Portugal mas também mostre a importância económica do mar para o futuro Portugal, dando a conhecer o que de melhor e mais avançado se faz já hoje entre nós, tudo colocando em devida perspectiva global, também porque, como todos sabemos cada vez estamos menos sozinhos no mundo e o mundo, cada vez mais pequeno e próximo, também não pode ser o mundo que todos queremos que seja, sem Portugal

Também por tudo isso, o grande desafio hoje é dar expressão internacional ao Jornal da Economia do Mar, não para pelo Jornal da Economia do Mar em si mas para dar a projecção internacional que as Empresas, StartUps, Centros de Investigação e outras entidades científicas nacionais que é imperioso dar sob pena de ficarmos a ver, uma vez mais, o futuro passar à nossa frente, com ar embasbacado, mesmo quando, ou sobretudo quando, sabemos até o ímpeto inicial ter partido daqui.

Tenhamos ambição, «golpe de asa» e saibamos dar realidade à imaginação criativa que sempre nos caracterizou.

Nada, porém, que possamos fazer inteiramente sozinhos e por isso mesmo incitamos todos quantos se preocupam com o futuro de Portugal como nós, a todos quantos acreditam na importância do mar para o futuro de Portugal, a apoiar este projecto transformando-se num Apoiante do mesmo.

O que beneficia sendo Apoiante?

Pouco. Directamente, muito pouco.  Recepção gratuita das publicações que o Jornal da Economia do Mar vier a realizar, tratamento especial nos Seminários, Conferências e em todas e quaisquer outras iniciativas do Jornal.

Mas não é isso o que mais importa. O que mais importa, cremos, é, acima de tudo, a garantia da continuação, expansão e cada vez mais ampla projecção nacional e internacional do Jornal da Economia do Mar, ou seja, da projecção nacional e internacional da Economia do Mar Nacional.

E mais do que isso, sim, para além da consciência de todos termos contribuído na medida do possível para o engrandecimento de Portugal, se estamos certos, talvez também o eventual agradecimento das gerações futuras por não lhes termos deixado tudo por fazer.

Estipulamos _ porque sempre é necessário estipular qualquer coisa _ o Apoio oficial será o que cada um entender conceder a partir de 50,00 € / ano mas, evidentemente, total liberdade a cada um de proceder como bem entender.

A Bem do Futuro de Portugal, do Mar e da Economia do Mar Nacional.

Nós, Jornal da Economia do Mar, também agradecemos, mesmo sabendo como isso conta pouco. Em todo o caso, aqui fica o nosso reconhecimento, com os devidos respeitos, a todos os Apoiantes, a todos quantos são hoje, de algum modo, os nossos verdadeiros Heróis do Mar.

 

Transferência Bancária:

Envio de dados para efeitos de emissão de Recibo: geral@jornaldaeconomiadomar.com

IBAN: PT50 0010 0000 5097 6510 0012 7



Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill