Como previsto, os estivadores do porto de Roterdão encontram-se desde ontem em greve por um período de 24 horas

Como anteriormente noticiado, os estivadores do Porto de Roterdão entraram ontem, dia 7 de Janeiro, em greve, por um período de 24 horas, em conflito com as reduções previstas de postos de trabalho com a automatização dos terminais de contentores da Maasvlatke 2.

Segundo os sindicatos, estarão em greve entre 3 300 a 3 600 estivadores, tendo a greve repercussões apenas sobre os terminais de contentores e não, por exemplo, no caso dos terminais petrolíferos.

De salientar que uma greve no maior porto da Europa era algo que já não acontecia há mais de treze anos, esperando agora os sindicatos, com esta iniciativa, obrigar à retoma de negociações estre a autoridade portuária, os respectivos operadoras, nomeadamente, Europe Container Terminals (ECT), APM Terminals Maasvlakte 2 (APMT) e Rotterdam World Gateway (GTR), e os próprios sindicatos, de forma a tornar possível garantir a manutenção dos postos de trabalho até, pelo menos, 2020 e colocar ponto final no actual conflito.

Os sindicatos estabeleceram entretanto um acordo com os seus congéneres de Antuérpia e do Havre e modo a garantir também que os navios não descarregados em Roterdão não serão desviados para esses portos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill