São esperados vários cientistas de países de língua portuguesa para um congresso em que o tema central será a disseminação da ciência marinha em português
Universidade do Algarve
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Desde hoje e até ao dia 26 de Janeiro, decorre na Universidade do Algarve (UAlg), em Faro, o primeiro Congresso de Biologia Marinha dos países de língua portuguesa, dedicado ao tema «Uma Ponte entre Mares», com a presença da ministra do Mar na sessão de abertura.

“Este primeiro congresso terá como foco a disseminação da ciência marinha feita em português, assim como a construção de uma rede internacional de investigadores”, refere a UAlg, acrescentando que está confirmada a presença de “vários especialistas e oradores, que apresentarão várias temáticas”, designadamente das comunidades científicas do Brasil, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Angola e Cabo Verde.

A UAlg informa ainda que os três principais eixos de interesse serão os Recursos Marinhos, a Biodiversidade, e Conservação e Biologia Evolutiva. “O congresso terá uma única sessão plenária para que todos os congressistas possam conhecer a realidade da investigação nestas três áreas” e “na abertura de cada eixo decorrerá uma palestra plenária”, informa a UA.

Para Rita Castilho, docente e investigadora da UAlg e membro da comissão científica do Congresso, “este evento reveste-se de primordial importância porque é a primeira vez que a comunidade científica de língua portuguesa se reúne à volta de temas ligados à Biologia Marinha”. Segundo refere, “esse facto vai permitir que os participantes tomem conhecimento das principais linhas de investigação que estão a ser desenvolvidas nos diferentes países e reúne as condições ideais de incubação de redes colaborativas nos vários domínios abordados”.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill