Na sequência de um acordo entre a HHI e o Korea Development Bank, que detém mais de 50% da DSME, os trabalhadores das duas empresas sul-coreanas têm-se oposto ao negócio com receio de perderem os seus postos de trabalho
Hyundai Heavy Industries
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A eventualidade da compra do negócio de construção dos negócios de construção naval e de offshore da Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering (DSME) pela Hyundai Heavy Industries (HHI) continua a não ser pacífica. Esta semana, os trabalhadores da HHI promoveram várias greves de protesto na Coreia do Sul contra o negócio, que pode ser hoje aprovado pelos accionistas, referem diversos meios de comunicação internacionais.

Em Março, a HHI estabeleceu um acordo com o Korea Development Bank (de que já aqui demos conta), que detém 55,7% da DSME, segundo o qual esta seria dividida e uma parte vendida para integração na HHI, criando a maior construtora naval do mundo, com 20% de quota global. Todavia, os sindicatos receiam que com esta aquisição a HHI herde dívidas da DSME e seja forçada a despedir trabalhadores. Os trabalhadores da DSME também têm receado pelo seu futuro, mas ter-lhes-ão sido assegurados os postos de trabalho, refere o Maritime Executive.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill