O navio patrulha Tejo estará em Itália em missão da FRONTEX, onde estará em operações de 22 de Julho a 8 de Setembro
Navio patrulha Tejo
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Já partiu o navio de patrulha costeira português Tejo, “que irá pela primeira vez operar no Mediterrâneo central, integrado numa operação conjunta de salvamento de migrantes, coordenada pela agência europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira – FRONTEX”, esclareceu a Marinha.

O navio “terá como base de operação o porto de Crotone, no Sul de Itália” e “navegará igualmente na vizinhança dos portos de Bari e Messina”, mantendo-se na “área de operações entre 22 de Julho de 2017 e 8 de Setembro de 2017”, informou a Marinha

A bordo “seguirá um enfermeiro, uma equipa de cinco fuzileiros da Marinha, um inspector do SEF, e em Itália está previsto o embarque de mais dois elementos, um da «Guardia Costiera» e outro da «Guarda di Finanza»”.

O Tejo é uma das mais recentes unidades da Marinha portuguesa e é “o primeiro de cinco navios da mesma classe, que se destina a operar junto a zonas costeiras em missões de vigilância, patrulha e defesa”, esclareceu a Marinha.

Depois da sua modernização, realizada nos estaleiros da Arsenal do Alfeite SA, os navios desta classe estão “essencialmente vocacionados para funções de segurança e autoridade do Estado no mar, cooperando sempre que necessário com outros departamentos do Estado com competências no mar”, considera a Marinha.

Nota: A foto foi retirada do portal oficial da Marinha



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Greenfest

    Setembro 28 - Outubro 1
  2. Logística e Cadeias de Abastecimento

    Outubro 11 @ 9:30 - 18:00
  3. 1ª Feira e Congresso Trabalhar num Navio

    Outubro 19 @ 11:00 - 19:30
  4. MOST Iberia 2017

    Outubro 21 - Outubro 24
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill