José Guerreiro da Silva afirmou durante a Semana Azul que o crescimento sustentável «vai ter que ser, a questão é como».
Praia da Vitória
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

De acordo com o representante da MARE START – UP no Blue Business Fórum,o objectivo para Portugal é que a economia do mar ocupe 4.5% do PIB em 2020, com destaque em sectores como a Aquacultura, os Recursos Naturais e o Turismo.

Durante o conjunto de conferências realizadas pela Gulbenkian Oceanos, José Guerreiro da Silva defendeu uma maior valorização do património natural, pois 1/3 da costa é área marinha protegida «mas não pelo Estado», e que por isso deve haver maior networking entre as ONGs para políticas ambientais, inclusive das empresas.

A economia circular também terá que ser uma aposta. «Temos que ser ambiciosos. Atrevi-me, no meu tempo, e passámos de uma para 28 áreas marinhas protegidas».

 Em 2015, os transportes, o alargamento de canais e a pesca ilegal são consideradas como altamente prejudiciais para o ambiente.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill