Barry Rogliano Salles
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Cerca de 57 mil milhões de euros em activos terão desaparecido do transporte marítimo em 2015, estimam os agentes de navegação Barry Rogliano Salles (BRS), citados pela imprensa internacional.

O facto reflectiu-se no amplo leque de desvalorizações de frotas verificado entre as companhias de navegação, confirmando um mau ano para o sector, que registou quedas históricas em quase todos os segmentos, com excepção dos petroleiros.

“O ano de 2015 foi tão mau quanto esperado; o transporte marítimo, em todas as suas formas, perdeu o seu esplendor”, refere Tim Jones, presidente da BRS, citado pela imprensa.

Alguns analistas explicam o fenómeno com a ressaca de um sector que foi sobre-dimensionado para responder às necessidades de uma China adolescente, face a um Ocidente com economias maduras e menos hábitos de consumos energéticos e uma globalização do comércio.

Paralelamente, fica cada vez mais em evidência a perspectiva de um novo modelo em que se recompensa um transporte marítimo mais amigo do ambiente.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill