Um inquérito da Drewry e do Conselho Europeu de Carregadores revelou um ligeiro aumento da insatisfação com os serviços de transporte marítimo no último ano
BIMCO
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O grau de satisfação dos carregadores com os serviços dos navios porta-contentores caiu 0,1 pontos numa escala de 1 a 5, em 2019, face ao ano anterior, segundo um inquérito realizado pelo Conselho Europeu dos Carregadores (ESC, em inglês), que representa os interesses logísticos de fabricantes, retalhistas e grossistas, e pela consultora Drewry.

De acordo com o inquérito, realizado a 249 carregadores e transitários, os inquiridos classificaram os serviços dos porta-contentores com uma média de 3,1 pontos. Os aspectos piores classificados foram a clareza dos preços e sobretaxas, os tempos de trânsito e a fiabilidade da reserva de embarque de carga. Os melhores foram a estabilidade financeira das empresas transportadoras, a precisão da documentação e a disponibilidade do equipamento (contentores).

O inquérito revelou ainda que só 4% dos clientes se mostraram muito insatisfeitos com os serviços e que apenas 6% se manifestaram muito satisfeitos. E que, segundo carregadores e transitários, entre 2017 e 2018, o desempenho do transporte marítimo de contentores piorou em quatro áreas: a gama de diferentes navios disponíveis, a gama de diferentes serviços disponíveis, o preço dos serviços e a qualidade geral dos serviços. Já a sustentabilidade ambiental e a estabilidade financeira das transportadoras desde 2017 mereceu uma apreciação positiva.

Comentando os resultados do inquérito, responsáveis do ESC e da Drewry consideraram que é necessária mais transparência por parte das transportadoras.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Selvagens Ilhas Afortunadas

    Junho 6
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill