«Rio Abaixo-Rio Acima» é a exposição sobre os desportos náuticos no rio Tejo, organizada pela Câmara Municipal de Lisboa, actualmente patente no Torreão Poente do Terreiro do Paço.

A exposição «Rio Abaixo-Rio Acima, Ontem e Hoje», organizada pela Câmara Municipal de Lisboa e patente no Torreão Poente do Terreiro do Paço até dia 30 de Setembro próximo para além de pretender ilustrar a evolução dos desportos náuticos no Rio Tejo ao longo do tempo, mais exactamente, desde o Séc. XIX, tem também como intuito preparar a candidatura de Lisboa a Capital do Desporto em 2021.

Inaugurada a 15 de Julho passado, a exposição tem tido uma significativa afluência de público, com uma média de 500 visitantes por dia, 60% dos quais estrangeiros.

Promovida também no âmbito das comemorações dos 160 anos da Associação Naval de Lisboa e coincidindo igualmente com 60 anos da regata The Tall Ship Races que passou uma vez mais por Lisboa no último fim-de-semana, a exposição pretende retratar e ilustrar a evolução das actividades e práticas náuticas no estuário do Tejo desde o Séc. XIX, desde o tráfego dos grandes navios de carga e passageiros, até até aos vários desportos náuticos, incluindo modalidades como a vela, o remo e não deixando, inclusive, de incluir um muito curioso equipamento de iniciação à natação.

 



Um comentário em “«Rio Abaixo-Rio Acima»”

  1. Isabel Maria das Neve, mas logo que s Menana diz:

    Estou em Viseu, mas assim quwe for a Lisboa vou ver a exposição Rio Abaixo Rio Acima. Deve ser muito interessante. Saudaçoes amigas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

De momento não existem próximos eventos.

«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill