«Rio Abaixo-Rio Acima» é a exposição sobre os desportos náuticos no rio Tejo, organizada pela Câmara Municipal de Lisboa, actualmente patente no Torreão Poente do Terreiro do Paço.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A exposição «Rio Abaixo-Rio Acima, Ontem e Hoje», organizada pela Câmara Municipal de Lisboa e patente no Torreão Poente do Terreiro do Paço até dia 30 de Setembro próximo para além de pretender ilustrar a evolução dos desportos náuticos no Rio Tejo ao longo do tempo, mais exactamente, desde o Séc. XIX, tem também como intuito preparar a candidatura de Lisboa a Capital do Desporto em 2021.

Inaugurada a 15 de Julho passado, a exposição tem tido uma significativa afluência de público, com uma média de 500 visitantes por dia, 60% dos quais estrangeiros.

Promovida também no âmbito das comemorações dos 160 anos da Associação Naval de Lisboa e coincidindo igualmente com 60 anos da regata The Tall Ship Races que passou uma vez mais por Lisboa no último fim-de-semana, a exposição pretende retratar e ilustrar a evolução das actividades e práticas náuticas no estuário do Tejo desde o Séc. XIX, desde o tráfego dos grandes navios de carga e passageiros, até até aos vários desportos náuticos, incluindo modalidades como a vela, o remo e não deixando, inclusive, de incluir um muito curioso equipamento de iniciação à natação.

 



Um comentário em “«Rio Abaixo-Rio Acima»”

  1. Isabel Maria das Neve, mas logo que s Menana diz:

    Estou em Viseu, mas assim quwe for a Lisboa vou ver a exposição Rio Abaixo Rio Acima. Deve ser muito interessante. Saudaçoes amigas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximos eventos

  1. Seminário WavEC 2018

    4 Dezembro, 2018 - 5 Janeiro, 2019
«Foi Portugal que deu ao Mar a dimensão que tem hoje.»
António E. Cançado
«Num sentimento de febre de ser para além doutro Oceano»
Fernando Pessoa
Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto.
Vergílio Ferreira
Só a alma sabe falar com o mar
Fiama Hasse Pais Brandão
Há mar e mar, há ir e voltar ... e é exactamente no voltar que está o génio.
Paráfrase a Alexandre O’Neill